Quanto maior a crise, mais precisamos de serenidade e sanidade. Em tempos de crise econômica, política, desemprego e embates partidários, o clima pode ficar tenso e paixões e ânimos podem roubar a paz, gerando ainda mais estresse e conflitos interpessoais. Precisamos cuidar do que falamos, pois somos senhores das palavras que pronunciamos e escravos das que deixamos escapar.

A paz de espírito, a solitude e a serenidade são a base para que o homem esteja satisfeito nestes dias tão cheios de incertezas. Com a quantidade de estímulos estressantes, aliados às notícias de violência e crise, o ser humano fica mais fragilizado emocionalmente. Isso sem levar em conta que, em na cultura brasileira, não precisamos necessariamente sofrer de transtorno bipolar para experimentar diferentes estados emocionais num único dia.
Todos precisamos cuidar bem de nossas emoções, e rapidamente. Crescemos no contexto de pressões diárias, enfrentando a correria do trânsito, o medo de ladrões, o pavor de multidões e o temor da violência. O sistema nervoso humano, contudo, é o mesmo desde quando não havia tal quantidade de variáveis. O que fazer para melhorar nossa qualidade de vida segundo a orientação bíblica?

Coloque em sua mente somente o que possa ajudá-lo realmente a ser feliz. No momento em que alguma “voz” dizer-lhe que é incapaz, rebata esse sentimento de baixa autoestima com outro, mediante a razão. Diga a si mesmo: “Outros conseguiram, também posso conseguir”. A Bíblia afirma que o coração do homem é enganoso, ou seja, o que sente pode ser passageiro, volúvel e irreal. Rebata seus pensamentos negativos também com conselhos bíblicos, como: “Quero trazer a memória o que me pode dar esperança” (Lamentações 3.21) e “Finalmente, irmãos, tudo que for verdadeiro, tudo que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo que for amável, tudo que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. Ponham em prática tudo que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim. E o Deus da paz estará com vocês” (Filipenses 4.8-9).

Não tenha pensamentos antecipados ou precipitados. Temos essa tendência, mas resposta de Deus para a alma agitada é o descanso. Na maioria das vezes, aquilo pelo que sofremos nem mesmo acontece e perdemos energia desnecessariamente. O sofrer muitas vezes gera uma ansiedade que obscurece o entendimento e a inteligência, fazendo com que não visualizemos a solução mais adequada que, por vezes, é óbvia. Como no meio de um nevoeiro, a ansiedade atrapalha que você veja. Logo que o nevoeiro passa, tudo fica claro. Quando surgirem em sua mente preocupações, rebata esses pensamentos com outros.

Diga a você mesmo: “não vou sofrer por antecipação; não há nada que eu possa fazer agora”. Pense em outra coisa e evite o estresse desnecessário. “O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima” (Provérbios 12.25). Seja bondoso consigo mesmo! Saiba que o maior carrasco do homem é ele mesmo. E como também está escrito na Bíblia: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças” (Filipenses 4.6).

Cuide do seu coração e dose bem a vida, pois a depressão pode vir do excesso de passado na sua vida presente e a ansiedade, por sua vez, pode vir do excesso de futuro em sua vida presente. O melhor, sem dúvidas, é a satisfação de viver com fé em Deus, vivendo um dia de cada vez do presente momento, protegendo seu coração e seus relacionamentos.

Cuide de suas emoções. Não pressione as pessoas, não as culpe ou julgue pelos seus próprios problemas pessoais. Busque e tenha paz interior. As situações passarão, mas você precisa continuar vivendo – e muito bem.

Pr. Carlito Paes

Sem comentários

Deixe uma resposta